Entenda porque cadidatos a vereador bem votados não foram eleitos em Santa Luzia (MG)

Entenda porque candidatos como Ilacir Bicalho, o segundo mais bem votado, não foram eleitos nas eleições de domingo passado (7) em Santa Luzia (MG).
De: Exclusivo Cidade Santa Luzia Eleições

Mesmo conquistando mais de 2700 votos e sendo o segundo candidato a vereador mais votado em Santa Luzia, Ilacir Bicalho (PTB) não foi eleito. Em contrapartida, candidatos que obtiveram números bem inferiores, a exemplo de Suzane (PT), com quase 800 votos, conseguiram se eleger. O resultado pegou muitos luzienses de surpresa, já que é comum atrelar a quantidade de votos ao processo de eleição.

O que faz um candidato ser eleito com 3 mil, 1200, ou 800 votos é o chamado quociente eleitoral. A fórmula é calculado da seguinte maneira: divide-se o número de eleitores de uma cidade que votaram (apenas votos válidos, sem contar brancos ou nulos) pelo número de vagas que há na Câmara dos Vereadores. No caso de Santa Luzia, o quociente eleitoral gira em torno de 6500. Essa é a quantidade de votos que um candidato ou uma coligação precisa ter para garantir uma cadeira na Câmara.

A coligação da qual Ilacir Bicalho fazia parte era composta pelo PTB e pelo DEM, partidos considerados de grande representação. Com uma quantidade razoável de candidatos lançados e mas poucos votos conquistados, a chapa conseguiu atingir o quociente eleitoral, mas o quociente foi suficiente apenas para eleger um candidadto, a Luiza do Hospital, também do PTB.

A situação da candidata Suzane é justamente a inversa. Apesar de ter obtido poucos votos, se comparado a Ilacir Bicalho, Suzane fazia parte da coligação Novos tempos para Santa Luzia, que reuniu 4 partidos: PT, PC do B, PT do B e PRP. A coligação garantiu uma quantidade de votos suficiente para eleger dois candidatos.

Ilacir Bicalho é atual vereador de Santa Luzia e não foi reeleito para a próxima legislatura.



Tecnologia do Blogger.