Tarifa do BRT MOVE Metropolitano custará R$ 3,30


 Preço das atuais linhas alimentadoras continuará o mesmo, porém ir ao centro ficará mais caro para os utilizadores da linha 4165-Padre Miguel e 4175-Vale das Acácias.


A pouco mais de uma semana do início do Move Metropolitano (nome dado ao BRT), a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop) definiu em R$ 3,30 o valor da tarifa do sistema. Com a entrada do serviço em operação no próximo dia 26, na Estação São Gabriel, a expectativa é que 35 mil usuários que hoje pegam um único ônibus rumo a Belo Horizonte passem a pegar dois – a linha alimentadora em sua cidade de origem e o BRT. A novidade é que, com o novo sistema, para não ter de pagar duas passagens, o usuário terá que adquirir o cartão Ótimo. Caso contrário, para fazer a viagem da região metropolitana ao centro da capital, ele terá que pagar duas tarifas.


O subsecretário de Regulação de Transportes da Setop, Diogo Prosdocimi, garante que os passageiros não precisarão pagar mais caro pelo transporte coletivo após a inauguração do Move. “Quem paga hoje R$ 4 continuará pagando R$ 4”, declarou. A condição para isso, no entanto, é a utilização do Ótimo.

O cartão, nos mesmos moldes do BHBus de Belo Horizonte, já é usado para a integração com o metrô ou outro coletivo metropolitano. Mas agora, quando a integração for feita com o Move, o usuário precisará do cartão para não ter que pagar em dobro. Hoje, já são 1,5 milhão de cartões em uso.

Viagens. Quando o usuário iniciar a viagem no bairro, rumo à capital, ele vai continuar desembolsando o valor já pago hoje em seu ônibus – que predomina entre R$ 3,30 e R$ 3,50 –, mesmo que sua linha agora pare na estação e não vá mais direto ao centro.

Ao chegar à Estação São Gabriel e pegar o Move, ele passará novamente o cartão na catraca, mas só para liberar a roleta, e não será debitado nenhum valor. Sem o Ótimo, porém, ele será obrigado a pagar mais R$ 3,30. Na volta para casa, a lógica da integração se repete. 

Capital. A possibilidade de integração tarifária, mesmo que apenas com o cartão Ótimo, é possível só dentro do sistema metropolitano. Se o passageiro descer da linha metropolitana e quiser pegar um ônibus da Empresa de Transportes e Trânsito (BHTrans) na Estação São Gabriel, por exemplo, terá de pagar R$ 2,65 a mais.

O subsecretário minimiza a falta de integração tarifária dizendo o usuário não terá interesse de trocar de sistema porque o metropolitano, segundo ele, oferecerá linhas com destinos diversos. Porém, ele disse que a Setop estuda a possibilidade de um cartão único.

Valor. No Move Metropolitano, a tarifa das linhas alimentadoras (que irão só até o São Gabriel) não ficará mais barata, apesar do trajeto menor do ônibus. No BRT da capital, o preço foi de R$ 2,65 para R$ 1,90 nas alimentadoras.

Motivo. Segundo a Setop, as linhas metropolitanas fazem longos percursos e, mesmo indo só até o terminal, o custo da viagem já equivale à tarifa cheia.
Tecnologia do Blogger.